Reflexões Culinárias

Aí a pessoa gosta tanto de comida que começa criar metáforas em cima disso... Acho que hoje estou meio poética!  :p
Minha mãe passou aqui e trouxe um pacotinho de queijo parmesão. Eu e o queijo parmesão temos uma história de amor & ódio. Quando aprendi a cozinhar, eu amava por queijo parmesão (industrializado)  em cima de tudo. Principalmente no macarrão. Mas não demorou muito para perceber o quanto ele tinha um gosto forte e cheiro enjoativo. E assim por muitos anos fiquei resistente a ele, só o cheiro me deixava sem apetite. E aí esses tempos pra cá tivemos um reencontro. Bom, uma característica que eu gosto em mim é a capacidade de mudar de ideia. Não sou cabeça dura, quando me dou conta que estou equivocada, mudo de ideia sem pestanejar. E foi assim com o parmesão industrial. Descobri que eu enjoei dele porque queria fazê-lo de mussarela. O que ele não era, coitado! Eu colocava uma camada mesmo. Ainda esperava que ficasse aquele derretido!
Aí descobri que um alimento de sabor tão forte acaba predominando entre os outros sabores, decidi colocar só um pouquinho. Pronto! Ótimo! Misturei uma colherzinha no meio do meu macarrão com feijão e acabei repetindo porque ficou uma delícia!
Outro alimento que reencontrei foi o molho de mostarda. O engraçado é que todo mundo que eu conheço que gosta de mostarda é a mesma história! Eu odiava com todas minhas forças de odiar mostarda, até que depois de 17 anos rejeitando a coitada, decidi colocar no meio de meu macarrão. Ah não acredito que a ignorei por tanto tempo! Como eu disse, todo mundo que eu conheço que gosta, já a odiou.
E existe também alguns alimentos que perderam o sabor pra mim, como o salpicão.
O que eu venho chamar atenção, é que devemos estar sempre com a mente aberta para novos sabores! O que mais me irrita, é alguém dizer que odeia algo sendo que nunca provou. Ou comeu apenas uma vez na vida. Eu tenho o costume de experimentar uma coisa ao menos três vezes antes de dar meu veredito. Talvez, na primeira vez que você tenha provado, você estava um pouco cheio, ou não foi preparado da forma correta, ou você errou na escolha de preparo (um alimento muda muito o sabor quando é preparado de formas diferentes, tipo cozido, frito, assado, empanado, fatiado, pedaços, amassado e etc.)
As vezes você perde sabores incríveis por uma simples frescura.
Mas o que isso tem haver com a vida? A vida é assim. As coisas mudam, as pessoas mudam, e VOCÊ muda. Digo isso porque percebo que todo mundo está muito cabeção ultimamente.  Se em mil novecentos e lá vai tiro a pessoa disse que o céu é verde ela não muda de ideia nunca! E mesmo que ela depois veja seu erro, não vai admitir. Porque somos assim tão orgulhosos? Prefirimos viver em uma mentira do que assumir que erramos!
No ano de 2009 eu disse que não comeria parmesão. Idai!? Mudei de ideia. Minha palavra não perdeu o valor por causa disso. O tempo passa, a terra gira, o mato cresce!
Existe muitas reflexões que eu possa fazer em cima disso, mas vou ficar por aqui mesmo. Espero que a partir desta leitura, você se permita a admitir que por muitos anos se enganou em algo, e cada dia ser menos orgulhoso(a)!
Um abraço!

Dani Fernandes

Dani Fernandes, 18 anos, mineira, blogueira e escritora de Margaridas, Lírios e Mariana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Regras de Comentário:
Deixe apenas o link, não precisa falar para eu te visitar pois eu já faço isso com todos que comentam
Divulgação nos meus post serão apagados tem um espaço para isso, vai lá em Sobre Dani..
Acompanhe meu blog porque gostas, isso não é uma troca!